Esportes

ATLETISMO

Brasileiros avançam às finais no salto com vara do Mundial

Augusto Dutra e Keila Costa passaram com sucesso pelas eliminatórias

GAZETA ESPORTIVA

22/08/2015 - 16h13
Continue lendo...

Dois brasileiros se classificaram para as finais de sua provas no primeiro dia de disputa do Mundial de Pequim. Neste sábado, Augusto Dutra (salto com vara) e Keila Costa (salto triplo) passaram com sucesso pelas eliminatórias no Estádio Ninho de Pássaro.

Depois de superar as marcas de 5,40m, 5,55m e 5,65m, Augusto garantiu a classificação ao ultrapassar 5,70m, altura de corte, na primeira tentativa. “Meu objetivo agora é, pelo menos, superar o meu recorde pessoal de 5,82m na final”, declarou o competidor de 25 anos.

A exemplo do que ocorreu nos Jogos Pan-Americanos, Thiago Braz, treinado por Vitaly Petrov, decepcionou ao saltar 5,65m. “Cometi vários erros técnicos durante a prova. Vou conversar com o meu técnico para tentar corrigir”, disse o atleta, quarto colocado no ranking mundial de 2015 (5,92m). Fábio Gomes (5,40m) também não avançou.

No salto triplo, Keila registrou 14,02m e foi a 10ª entre as 12 finalistas. “Gostei da prova e espero melhorar meu resultado na segunda-feira”, comentou a pernambucana de 32 anos. Já Núbia Soares saltou 13,52m e não se classificou para a decisão. Na heptatlo, após as quatro primeiras provas, Vanessa Spinola é a 27ª (3.438 pontos).

Na noite deste domingo, mais competidores brasileiros estreiam no Mundial. A principal atração é a experiente Fabiana Murer, campeã mundial do salto com vara em Daegu 2011. Ela começa a competir na qualificação no Ninho de Pássaro a partir das 22h30 (de Brasília).

“Vai ser certamente uma prova difícil. Temos pelo menos 20 atletas saltando 4,60m. Tenho que fazer no mínimo isso ou 4,65m. Não vai ser fácil, mas estou bem treinada”, lembrou Fabiana, que tem 4,80m como melhor resultado da temporada, principal esperança de medalha do Brasil na China.

PARIS 2024

Brasil não irá competir em várias modalidades nas Olimpíadas; veja quais

Time Brasil não tem representantes em esportes nos quais tem histórico de conquistas, como é o caso do futebol masculino, e nem em modalidades estreantes, como o breaking, entre outros

24/07/2024 16h33

Seleção brasileira de futebol, bicampeã olímpica, não se classificou para as Olimpíadas de Paris

Seleção brasileira de futebol, bicampeã olímpica, não se classificou para as Olimpíadas de Paris Foto: Arquivo / CBF

Continue Lendo...

A participação do Brasil nas Olimpíadas começa nesta quinta-feira (25), com disputas no futebol feminino, tiro com arco feminino e masculino e handebol feminino. Até o fim dos jogos, em 11 de agosto, o time Brasil, que conta com 274 atletas, compete em 39 modalidades.

Ao todos, são 45 modalidades esportivas, que contam com mais de 300 competições e 10 mil atletas de vários países nos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

O Brasil não conquistou classificação em seis modalidades, enquanto em outras ele tem representantes, mas apenas em uma das categorias: feminino ou masculino.

O principal "desfalque" do Brasil é no futebol masculino, onde a seleção é bicampeã olímpica, além de histórico de conquista em outras edições, com três pratas e dois bronzes.

O Time Brasil também não terá representantes no Breaking, que é a novidade destas Olimpíadas.

Há ainda outros esportes coletivos e individuais onde os atletas não conseguiram a classificação e o Brasil ficará de fora da disputa por uma medalha.

Confira as modalidades que o Brasil não participa nas Olímpiadas Paris 2024

  • Basquete feminino

A seleção feminina de basquete, que já foi medalhista de prata (1996) e bronze (2000) nas Olímpiadas, não se classificou para Paris 2024. O time terminou o Pré-Olímpico na lanterna da chave, com três pontos conquistados, sem nenhuma vitória.

A última participação do basquete feminino nas Olimpíadas foi nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Em Tóquio 2020, a equipe também não se classificou e ficou de fora.

  • Basquete 3x3

O Basquete 3x3 estreou nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020, e pela segunda vez consecutiva, o Brsil não será representado nesta modalidade, em Paris, pois as equipes feminina e masculina não se classificaram.

  • Breaking

O breaking fez sua estreia nos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, em 2018. Após seu grande sucesso, foi escolhido como nova modalidade que fará sua estreia no programa de esportes Olímpicos de Paris 2024.

O Brasil teve nomes importantes tentando uma vaga, através do campeonato mundial, mas os atletas brasileiros não conseguiram ficar entre os 16 primeiros nomes do ranking internacional, tanto masculino quanto feminino, e o País não terá representante no breaking em Paris.

  • Ciclismo de pista

O ciclismo tem vários tipos de provas que serão realizadas nos Jogos Olímpicos. O Brasil terá representantes em quase todas, exceto no ciclismo de pista.

O Brasil tem pouca tradição competitiva neste esporte e raramente consegue classificar atletas para o ciclismo de pista.A última participação foi na Rio 2016, da qual foi o país sede, e, anteriormente, havia sido em Seul 1988.

  • Escalada

A escalada esportiva começou no programa Olímpico em Tóquio 2020. Em Paris, haverá disputa em duas categorias: a competição combinada entre bouler e guiada, e as provas de velocidade.

Assim como nas Olímpiadas de Tóquio, o Brasil não classificou nenhum atleta para os Jogos Olímpicos de Paris 2024.

  • Futebol masculino

Bicampeã olímpica, a seleção brasileira de futebol não conseguiu classificou e está de fora das Olimpíadas de Paris 2024. Uma das favoritas, a seleção terminou o Pré-Olímpico em terceiro lugar no grupo, com dois pontos.

  • Handebol masculino

A seleção brasileira de handebol masculino terminou na terceira posição do grupo do Pré-Olímpico, somou apenas dois pontos, e não conseguiu a classificação. As duas vagas do grupo ficaram com Espanha e Eslovênia.

A equipe brasileira não tem histórico competitivo nos jogos olímpicos, sendo o melhor resultado um sétimo lugar, na Rio 2016. Na Tóquio 2020, a seleção não passou da fase de grupos.

  • Hóquei sobre grama

O Brasil não terá representantes no hóquei sobre grama feminino e masculino na Paris 2024.

A seleção brasileira participou apenas da Rio-2016, no masculino, mas perdeu todos os jogos e foi eliminado na fase de grupos.

  • Luta masculina

O Brasil não terá representante na categoria wrestling masculino, que faz parte da luta olímpica.

Na modalidade, haverá apenas participação brasileira feminina, na luta categoria feminino 57 kg.

  • Maratona aquática masculina

O Brasil não será representado na maratona masculina, uma vez que os atletas Henrique Figueirinha e Pedro Farias não tiveram um bom desempenho no Mundial de Esportes Aquáticos, que aconteceu em Doha (QAT).

Na categoria feminina, duas atletas irão competir por medalhas.

  • Polo aquático

As seleções feminina e masculina de polo aquático do Brasil não irão competir nos Jogos Olímpicos de Paris. Em Tokio 2020, ambas as equipes também se classificaram.

A última participação foi na Rio 2016, onde as seleções foram eliminadas na fase de grupos.

  • Rugby sevens masculino

O Rugby sevens terá apenas participação da seleção feminina em Paris, já que a masculina fechou a campanha pré-olímpica na terceira colocação e perdeu a repescagem, contra o Chile, ficando de fora de Paris 2024.

O esporte ganhou destaque no Brasil nesta edição após a atleta do rugby Raquel Kochhann, ser escolhida como porta-bandeiras do País na cerimônia de abertura. A equipe feminina brasileira, as Yaras, estão no top 10 mundial.

  • Pentatlo moderno masculino

O pentatlo moderno não terá representante brasileiro na categoria masculina.

Já na feminina, Isabela Abreu conquistou uma vaga e representa o País.

O pentatlo moderno é um esporte que une cinco modalidades em uma só: esgrima, hipismo, natação e uma prova combinada de corrida e tiro esportivo. 

  • Saltos Ornamentais masculino

Nos saltos ornamentais, o Brasil conseguiu classificação tanto feminina quanto masculina, mas uma lesão titou o atleta Isaac Souza da competição de plataforma de 10 metros. 

O atleta se contundiu em treinamento ainda no Brasil e foi encaminhado pelo departamento médico do COB para a realização de exames de imagem. A ressonância magnética indicou rompimento do tendão do cotovelo (tríceps) esquerdo. Com isso, ele está de fora dos jogos e o Brasil não competirá nesta modalidade masculina.

Quais os esportes que o Brasil irá disputar nos Jogos Olimpícos Paris 2024

O Brasil tem atletas classificados e que irão disputar as seguintes modalidades:

  • Atletismo
  • Badminton
  • Basquete feminino
  • Boxe
  • Ciclismo BMX Freestyle
  • Ciclismo BMX Racing
  • Ciclismo de estrada
  • Canoagem velocidade
  • Canoagem slalom
  • Ciclismo mountain bike
  • Esgrima
  • Futebol feminino
  • Ginástica artística
  • Ginástica de trampolim
  • Ginástica rítmica
  • Handebol feminino
  • Hipismo (adestramento, concurso completo de equitação, saltos)
  • Judô
  • Luta deminino
  • Maratona aquática feminino
  • Natação
  • Pentatlo moderno
  • Remo
  • Rugby sevens feminino
  • Saltos ornamentais
  • Skate
  • Surfe
  • Taekwondo
  • Tênis
  • Tênis de mesa
  • Tiro com arco
  • Tiro esportivo
  • Triatlo
  • Vela
  • Vôlei
  • Vôlei de praia

OLIMPÍADAS DE PARIS 2024

Os Jogos Olímpicos de Paris começaram oficialmente no dia 24 de julho e vão até 11 de agosto.

A Cerimônia de abertura será realizada na sexta-feira (26), com horário previsto para às 13h30 (de MS) e deve durar mais de três horas.

Pela primeira vez na história dos Jogos, a cerimônia de abertura será realizada fora de um estádio. O tradicional desfile de atletas acontece em barcos ao longo do rio Sena, passando pelos marcos mais emblemáticos de Paris.

No Brasil, os direitos de transmissão na televisão são da Globo, que terá transmissões no canal aberto, no SporTV e Globo Play, enquanto na web os direitos são da Cazé TV, que transmitirá via canal do YouTube e Twich.

No horário do Brasil, as competições vão acontecer entre 3h e 18h, no horário de Brasília.

Em Paris 2024 serao disputados:

  • Atletismo: entre os dias 1º e 11 de agosto
  • Badminton: entre 27 de julho e 5 de agosto
  • Basquete: entre 27 de julho e 11 de agosto
  • Basquete 3 x 3: entre 30 de julho e 5 de agosto
  • Boxe: entre 27 de julho e 10 de agosto
  • Breaking: entre 9 e 10 de agosto
  • Canoagem Slalom: entre 27 de julho e 5 de agosto
  • Canoagem Velocidade: entre 6 e 10 de agosto
  • Ciclismo BMX Freestyle: entre 30 e 31 de agosto
  • Ciclismo BMX Racing: entre os dias 1º e 2 de agosto
  • Ciclismo de Estrada: 27 de julho e entre 3 e 4 de agosto
  • Ciclismo Moutain Bike: entre 28 e 29 de julho
  • Escalada Esportiva: entre 5 e 10 de agosto
  • Esgrima: entre 27 de julho e 4 de agosto
  • Futebol: entre 24 de julho e 10 de agosto
  • Ginástica Artística: entre 27 de julho e 5 de agosto
  • Ginástica de Trampolim: 2 de agosto
  • Ginástica Rítmica: entre 8 e 10 de agosto
  • Golfe: entre os dias 1º e 10 de agosto
  • Handebol: entre 25 de julho e 11 de agosto
  • Hipismo: entre 27 de julho e 6 de agosto
  • Hóquei sobre Grama: entre 27 de julho e 9 de agosto
  • Judô: entre 27 de julho e 3 de agosto
  • Levantamento de Peso: entre 7 e 11 de agosto
  • Luta: entre 5 e 11 de agosto
  • Maratona Aquática: entre 8 e 9 de agosto
  • Nado Artístico: entre 5 e 10 de agosto
  • Natação: entre 27 de julho e 3 de agosto
  • Pentatlo Moderno: entre 8 e 11 de agosto
  • Polo Aquático: entre 27 de julho e 11 de agosto
  • Remo: entre 27 de julho e 3 de agosto
  • Rugby Sevens: entre 24 de julho e 30 de agosto
  • Saltos Ornamentais: entre 27 de julho e 10 de agosto
  • Skate: 27 e 28 de julho; 6 e 7 de agosto
  • Surfe: entre 27 e 31 de julho
  • Taekwondo: entre 7 e 10 de agosto
  • Tênis: entre 27 de julho e 4 de agosto
  • Tênis de Mesa: entre 27 de julho e 10 de agosto
  • Tiro com Arco: entre 25 de julho e 4 de agosto
  • Triatlo: 30 e 31 de julho; 5 de agosto
  • Vela: entre 28 de julho e 8 de agosto
  • Vôlei: entre 27 de julho e 11 de agosto
  • Vôlei de Praia: entre 27 de julho e 10 de agosto

O calendário completo, com datas, horários e confrontos por país, pode ser conferido no site oficial dos Jogos Olimpícos.

 

PARIS-2024

Árbitra de MS será VAR em jogo desta quarta nas Olimpíadas

A três-lagoense Daiane Muniz dos Santos, de 36 anos, vai ser uma das assistentes de vídeo na partida entre Mali x Israel, às 15h (horário de MS), nesta quarta (24)

24/07/2024 13h00

Daiane Muniz dos Santos durante jogo da primeira divisão do Campeonato Brasileiro Feminino

Daiane Muniz dos Santos durante jogo da primeira divisão do Campeonato Brasileiro Feminino Foto: Instagram / @carilacovas_

Continue Lendo...

Natural de Três Lagoas, Daiane Muniz dos Santos, de 36 anos, será uma das assistentes de vídeo da partida de hoje (24) entre Mali x Israel, às 15h (horário de MS), pela primeira rodada do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Paris. 

Árbitra FIFA desde 2018, Daiane iniciou sua carreira no Campeonato Sul-mato-grossense em junho de 2014, inclusive foi a primeira mulher a ser árbitra principal no estadual, no jogo entre Corumbaense e Maracaju, em 2020, mas mudou-se para São Paulo logo depois, tanto que hoje faz parte do quadro de arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF).

A partir deste momento, ganhou reconhecimento nacional e comandou o VAR em vários jogos da primeira divisão nacional e chegou até a Copa do Mundo Feminina do ano passado, disputada na Austrália, onde ela também trabalhou como assistente de vídeo.

Segundo o site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a três-lagoense já esteve em 27 jogos este ano, sendo 20 como VAR e as outras sete como árbitra de campo. A última partida dela antes dos Jogos Olímpicos foi Grêmio (RS) 3 x 1 Operário (PR), no dia 14 de julho, pela Copa do Brasil. Ao todo, ela já participou de 15 jogos do Brasileirão em 2024.

Jogos da primeira rodada do futebol masculino em Paris (todas nesta quarta-feira):

  • 09h - Argentina 2 x 2 Marrocos - Já aconteceu
  • 09h - Uzbequistão 1 x 2 Espanha - Já aconteceu
  • 11h - Egito x República Dominicana
  • 11h - Guiné x Nova Zelândia
  • 13h - Iraque x Ucrânia
  • 13h - Japão x Paraguai
  • 15h - Mali x Israel
  • 15h - França x Estados Unidos

CPI DA MANIPULAÇÃO

No dia 24 de abril deste ano, o presidente da CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas, Jorge Kajuru (PSB-GO), pediu para que os requerimentos para convocar os árbitros Raphael Claus (Fifa/SP) e Daiane Caroline Muniz dos Santos (VAR-Fifa/SP) para depor em sessão secreta fossem aprovados.

O convite foi feito após o dono da SAF do Botafogo, John Textor, ter citados ambos como responsáveis por decisões questionáveis durante dois jogos da Série A do Brasileiro do ano passado. Kajuru também salientou que Raphael e Daiane trabalharam juntos em 11 das 38 rodadas da primeira divisão, causando estranheza.

  • Atlético-MG 1 x 2 Vasco (15/04)
  • Atlético-MG 2 x 0 Internacional (13/05)
  • Botafogo 1 x 2 Flamengo (02/09)
  • Vasco 4 x 2 Fluminense (16/09)
  • Fortaleza 1 x 1 Grêmio (30/09)
  • Goiás 4 x 6 Bahia (07/10)
  • Flamengo 1 x 0 Vasco (22/10)
  • Palmeiras 5 x 0 São Paulo (25/10)
  • Bragantino 1 x 0 Corinthians (05/11)
  • Atlético-PR 1 x 1 Fortaleza (08/11)
  • Santos 0 x 0 São Paulo (12/11)

"É flagrante que essa enorme quantidade de atuações conjuntas da dupla causa estranheza e cria exposição desnecessária aos dois. Afinal, é notório que o risco de erro é proporcional ao número de atuações", diz o documento.

Ainda não há data confirmada para a sessão dos dois e de outros chamados para depoimento. “Torna-se cristalino que o depoimento de Sua Senhoria servirá para que esta CPI conheça melhor os detalhes acerca da confecção da tabela de árbitros, bem como sobre o funcionamento do sistema de comunicação de VAR", ressaltou o senador no documento.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).