Esportes

UFC 126

Anderson Silva arrasa Vitor Belfort

Anderson Silva arrasa Vitor Belfort

FERNANDO ZANCHETTA, YAHOO!

06/02/2011 - 08h08
Continue lendo...

Na luta do século realizada ontem no UFC 126 ,em Las Vegas (EUA), muitos vão dizer que o melhor da festa foi esperar por ela. Mas o talento de Anderson ‘The Spider’ Silva novamente foi o diferencial para nocautear Vitor ‘The Phenom’ Belfort em pouco mais de três minutos, manter o cinturão dos pesos médios (até 84kg) pela oitava vez e reforçar a reputação como um dos lutadores mais eficientes do mundo.

Na prática, o estudo foi predominante durante o primeiro round. Belfort segurou o ímpeto tradicional de partir para cima dos oponentes desde o começo. E pagou o preço por isso. Após quase dois minutos de espera, esboçou apenas chutes leves, socos e uma queda que derrubou o campeão. Anderson sorriu e voltou em pé. Na primeira vez que se lançou ao ataque pra valer, o Aranha aplicou chute frontal certeiro no queixo de Vitor, que caiu desnorteado. Silva continuou o castigo no chão com socos que obrigaram o juiz interromper a luta e decretar o nocaute técnico.

Após a sonora vitória (13ª consecutiva no Ultimate), Silva mostrou respeito ao compatriota e fez questão de amenizar a guerra de nervos declarada um dia antes na pesagem oficial, repleta de xingamentos e provocações. “Tudo faz parte do espetáculo. Vitor merece o respeito de todos aqui. Sou grato pela oportunidade de lutar com ele, que também é um grande campeão”, afirmou.

Sobre o golpe letal que liquidou a fatura, Anderson deu crédito para o ator e lutador Steven Seagal, amigo pessoal e que tem o acompanhado nos últimos combates. “Mestre Seagal que me ensinou o chute. Treinamos muito este movimento nos últimos meses”, explicou.

Outras lutas

Ryan Bader e Jon Jones protagonizaram combate movimentado nos meio-pesados (até 93kg). Com timing apurado, Jones partiu para cima, conseguiu boa queda e encaixou estrangulamento que por pouco não terminou o desafio. Bader limitava-se a se defender. Nos assaltos seguintes, Jon aos poucos aumentou o volume de golpes em pé até derrubar novamente e finalizar o exausto oponente com uma guilhotina.

O resultado imediatamente credenciou o vencedor para substituir o então desafiante Rashad Evans (contundido) e enfrentar o campeão da categoria, o brasileiro Maurício ‘Shogun’ Rua no UFC 128, dia 19 de março.

Forrest Griffin partiu para cima de Rich Franklin desde os primeiros segundos e mostrou boa versatilidade no desafio entre ex-campeões. No primeiro assalto, apostou no ground and pound (ataques com o adversário caído). No seguinte, aplicou socos e chutes certeiros. Franklin esboçou certa reação no terceiro, mas não foi suficiente e teve de engolir a derrota por pontos.
Carlos Eduardo ‘Tá Danado’ Rocha foi o primeiro brasileiro a entrar em ação. Contra o norte-americano Jake Ellenberger, logo colocou o adversário para baixo e fez valer a bagagem sólida no jiu-jitsu. Aos poucos, conseguiu posições de vantagem no chão e terminou a etapa com chave de braço encaixada, mas bem defendida por Ellenberger.

No segundo round, Rocha foi para a troca de golpes e o ímpeto inicial logo se transformou em cansaço. Sem conseguir manter a estratégia de levar para o solo, o assalto se tornou monótono. Pouca coisa mudou na última etapa e o equilíbrio prevaleceu. No fim, os juízes deram a vitória na decisão dividida para Ellenberger. O resultado acabou com a invencibilidade de nove lutas de ‘Tá Danado’.

Card Principal

Miguel Torres venceu Antonio Banuelos na decisão unânime
Jake Ellenberger venceu Carlos ‘Tá Danado’ Rocha na decisão dividida
Jon Joes finalizou Ryan Bader
Forrest Griffin venceu Rich Franklin na decisão unânime
Anderson Silva nocauteou Vitor Belfort

Card Preliminar

Donald Cerrone finalizou Paul Kelly no segundo round
Chad Mendes venceu Michihiro Omigawa na decisão unânime
Demetrious Johnson venceu Norifumi Yamamoto na decisão unânime
Paul Taylor venceu Gabe Ruediger por nocaute
Kyle Kingsbury venceu Ricardo Romero por nocaute
Mike Pierce venceu Kenny Robertson por nocaute técnico

TRAGÉDIA

Tragédia no SuperBike Brasil: Piloto de 9 anos, Lorenzo Somaschini morre após acidente em Interlagos

Incidente durante treino da Honda Junior Cup causa comoção na comunidade do motociclismo.

18/06/2024 17h15

Tragédia no SuperBike Brasil: Piloto de 9 anos, Lorenzo Somaschini morre após acidente em Interlagos

Tragédia no SuperBike Brasil: Piloto de 9 anos, Lorenzo Somaschini morre após acidente em Interlagos Divulgação

Continue Lendo...

Lorenzo Somaschini, um piloto argentino de apenas 9 anos, faleceu no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após um acidente durante o treino da Honda Junior Cup no Autódromo de Interlagos. O acidente ocorreu durante a quarta etapa do SuperBike Brasil, onde o jovem piloto caiu na curva do Pinheirinho.

A Superbike Brasil prontamente socorreu Lorenzo com uma ambulância equipada com UTI após sua queda, estabilizando-o inicialmente no autódromo e posteriormente transferindo-o para o Hospital Geral de Pedreira e, finalmente, para o Hospital Albert Einstein, onde veio a falecer na segunda-feira, dia 17 de junho.

A Honda Junior Cup, criada em 2013, é uma competição destinada a jovens de 8 a 18 anos, focada no ensino de técnicas avançadas de pilotagem e no desenvolvimento emocional e disciplinar dos participantes. Utilizando motos Honda CG Titan de 160cc adaptadas para corridas, a categoria enfatiza a segurança e o conforto dos competidores, com manutenção e preparação das motos sob responsabilidade da organização do evento.

O trágico acidente de Lorenzo Somaschini ressalta a importância da segurança em eventos esportivos envolvendo jovens. A Superbike Brasil está colaborando com as investigações para esclarecer as circunstâncias do incidente.

A morte prematura de Lorenzo Somaschini é uma perda significativa para a comunidade do motociclismo, e sua memória será honrada. Este evento também serve como um lembrete dos desafios e riscos associados ao esporte, especialmente para jovens pilotos.

A Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) foi procurada pelo ge e afirmou, através de um comunicado oficial, que o SuperBike Brasil não é uma competição homologada pela entidade.

"A Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), através de seu Presidente, vem, por meio deste expressar seu mais profundo pesar pelo falecimento do jovem piloto argentino, Lorenzo Somaschini. 

A CBM gostaria de esclarecer que a competição SuperBike Brasil, na qual o acidente ocorreu, não é homologada por esta entidade, conforme nota oficial amplamente divulgada, no dia 27 de março de 2024, e enviada através de ofício aos autódromos e entidades relacionadas. A CBM não possui vínculos com a organização do evento em questão.

Neste momento de dor, estendemos nossas sinceras condolências à família, amigos e a todos que compartilharam da trajetória de Lorenzo. Que possam encontrar conforto e força para superar esta perda inestimável.

Procurado pelo GE, o SuperBike respondeu com o mesmo comunicado publicado após a morte de Lorenzo:

"Segunda-feira, 17 de junho de 2024 – 23h00. O SuperBike Brasil comunica, com muita tristeza e pesar, o falecimento do piloto Lorenzo Somaschini nesta segunda-feira (17/6), às 19h43. O argentino, natural de Rosário, estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), sob cuidados médicos intensivos e, infelizmente, não resistiu”, diz a nota divulgada no Instagram. “A organização do SuperBike Brasil está prestando total assistência à família do piloto desde sexta-feira (14/6), quando o argentino teve uma queda durante o primeiro treino livre da Jr Cup, válido pela 4ª etapa do SuperBike Brasil, no Autódromo de Interlagos. Logo que caiu na saída do Pinheirinho, o piloto foi prontamente atendido no local pela equipe médica em ambulância UTI. Na sequência, foi encaminhado para a sala de emergência do autódromo, onde houve a estabilização do seu quadro clínico. Após esse procedimento, foi realizada a remoção médica, em unidade de suporte avançada (UTI móvel) para o Hospital Geral da Pedreira, onde permaneceu até a madrugada de sábado (15/6), seguindo todos os protocolos médicos até ser feita a transferência para o Hospital Albert Einstein. Todos da equipe do SuperBike Brasil estão consternados com o acontecimento e manifestam sinceros sentimentos a todos familiares e amigos de Lorenzo"

*****Com informações do GE

Liga Feminina de Futsal

Pezão/UCDB enfrenta atual campeã da Libertadores

Equipe salesiana busca encerrar sequência negativa de derrotas na competição

18/06/2024 09h55

Meninas do Pezão/UCDB enfrentarão neste fim de semana o Stein Cascavel em partida no Paraná

Meninas do Pezão/UCDB enfrentarão neste fim de semana o Stein Cascavel em partida no Paraná Foto: Luana Gums

Continue Lendo...

O único representante do futsal feminino sul-mato-grossense, o Pezão/UCDB enfrenta no próximo sábado (22), o atual campeão da Libertadores Feminina, o Stein Cascavel (PR), pela Liga Feminina de Futsal (LFF). A partida será disputada no Ginásio Francisco Odilon Reinhard, no município de Cascavel (PR), a partir das 15h (horário de MS).

Com quatro partidas disputadas pela Liga Feminina em 2024, o Pezão/UCDB está na nona colocação do campeonato, disputado por 12 equipes. O time campo-grandense venceu um jogo e perdeu três partidas na competição que se iniciou no mês de abril.

Sobre a expectativa para o próximo confronto, o treinador do Pezão/UCDB, Luiz Fernando Borges, o Nando, falou que apesar da diferencia de apoio financeiro entre as equipes, o time salesiano entra em quadra para fazer o melhor nos confrontos fora de casa.

“Os jogos fora de casa são difíceis para a gente, porque sempre esbarramos nas condições que temos. Por se tratar de uma equipe universitária, algumas meninas não podem viajar por conta do trabalho. Mas como eu digo para as meninas, temos que ir lá para fazer um bom jogo, para representar bem a nossa instituição, da forma que podemos e de acordo com as nossas condições”, declarou o treinador.

Nos dois últimos jogos do Pezão/UCDB na Liga, a equipe perdeu em Campo Grande, por 5 a 0, para o São José (SP). Anteriormente, recebendo o Taboão Magnus no Ginásio Guanandizão, a equipe salesiana foi goleada por 4 a 1.

Com relação aos resultados recentes, o Nando ponderou que nas primeiras rodadas da competição, o Pezão/UCDB enfrentou as principais equipes do futsal feminino do cenário nacional.

“A gente teve aqui em Campo Grande as melhores equipes do país, todas elas reforçadas para disputarem a vaga na Libertadores da América, que é o objetivo de todo o time no país, e vieram com força máxima. E neste início de competição pegamos equipes neste nível”, disse Nando.

Nesta temporada a UCDB mudou de parceria, anteriormente era com o time da Serc, de Chapadão do Sul, e agora é com a escolinha Pezão. 

Com relação as mudanças no elenco para 2024, o time salesiano conta agora com a jogadora Aninha Ramires, pivô que veio do DEC/Operário, além de ex-jogadoras do clube, que voltaram como reforços da equipe para esta temporada. 

Danieli Souza, que estava jogando no Leganés da Espanha, e a Aninha Santana, que jogou em Portugal, estão de volta ao time campo-grandense.

Outras jogadoras, porém, sairão nesta temporada da equipe, como Amanda Santana, que agora defende a Unichapecó (SC) e a Julia Name que foi para o Taboão Magnus (SP).

STEIN CASCAVEL

O Stein Cascavel será mais um adversário difícil de ser derrotado no qual o Pezão/UCDB jogará na Liga Feminina de Futsal. O time é multi campeão no futsal feminino, sendo bicampeão da LFF, da Copa do Brasil e da Taça Brasil, além de ser o atual campeão da Libertadores.

Em 2023, o Stein Cascavel foi campeão do Paranaense, da Supercopa, da Libertadores, da Copa Mundo do Futsal e da Liga Feminina de Futsal.

De 2021 para cá, o Stein Cascavel já soma 11 títulos, com destaque para a Libertadores, conquistada no Paraguai, e o bi da Copa Mundo de Futsal, competição que teve 12 equipes de oito países.

Ainda neste mês de junho o Stein vai representar o país na Libertadores da América de 2024. O time paranaense está no grupo B da competição ao lado de Exa Ysaty do Paraguai, Peñarol do Uruguai, Rep. Colômbia e Universidad de Chile.

LIGA

A Liga Feminina de Futsal, temporada 2024, é a principal competição do futsal feminino brasileiro. Doze equipes jogam o torneio, que têm previsão de terminar no mês de novembro.

Na primeira fase, o campeonato é disputado em grupo único, onde em 12 rodadas de turno único são definidas as oito equipes classificadas para a segunda fase.

Em jogos de ida e volta, a fase de mata-mata é realizada das quartas de final até chegar a grande final da competição.

No ano passado a equipe campeã do torneio foi o Stein Cascavel, que defendeu o seu título conquistado em 2022, se tornando bicampeã da Liga.

A final foi disputada contra o Taboão Magnus, que terminou com a vitória do time paranaense por 4 a 0.
A então Serc/UCDB foi estreante da competição no ano passado, e conseguiu chegar até a oitava colocação da Liga.

O time de Campo Grande conseguiu a classificação heróica na última rodada da fase de grupos, mas perdeu nas quartas de final em duelo contra o Taboão Magnus, que havia terminado a primeira fase na liderança do campeonato.

Saiba

A única vitória do Pezão/UCDB na Liga Feminina de Futsal deste ano até agora foi enfrentando a equipe do Londrina (PR), em jogo disputado, a equipe salesiana saiu vitoriosa pelo placar de 4 a 3.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).