Polícia

OPERAÇÃO ÁGATA

Exército apreende 163 kg de cocaína na fronteira Brasil/Bolívia

Essa foi a maior apreensão de droga realizada pela 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal, desde o início da Operação Ágata Fronteira Oeste II

Continue lendo...

Militares do Exército Brasileiro apreenderam 163 quilogramas de cocaína, na noite desta segunda-feira (19), na Estrada Lixão, que dá acesso à fronteira Brasil/Bolívia, localizada na parte alta de Corumbá.

Conforme apurado pela mídia local, militares da 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal realizavam patrulhamento motorizado, quando abordaram um boliviano de 29 anos, que conduzia uma Volksvagen Paraty, de cor branca.

Durante revista no veículo, cinco sacolas grandes foram encontradas no porta-malas. Os militares revistaram a carga e perceberam que se tratava de vários tabletes de cocaína.

Interrogado, o motorista não revelou a origem da droga, mas disse que o destino seria Corumbá e que transportaria a carga em outro veículo.

Após pesagem, os tabletes totalizaram 163 kg. O boliviano, o veículo e a droga foram levados para a Delegacia da Polícia Federal em Corumbá. 

Essa foi a maior apreensão de droga realizada pela 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal, desde o início da Operação Ágata Fronteira Oeste II, que iniciou em novembro de 2023.

OPERAÇÃO ÁGATA FRONTEIRA OESTE II

A Operação Ágata Fronteira Oeste II contabiliza mais de 3.177 ações realizadas nas áreas de fronteira dos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná.

A operação reúne esforços por meio de uma ação conjunta e integrada das Forças Armadas com a Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência, Secretaria Nacional de Políticas Penais, Secretarias de Segurança Pública, Polícia Civil, Polícia Militar e Gabinetes de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas dos três estados.

O Comando Operacional Oeste tem como principais missões intensificar ações nos Postos de Bloqueio de Estrada e Fluvial, Patrulhamento Mecanizado e Motorizado e Posto de Segurança Estático, além de controle do Tráfego Aéreo.

O trabalho é realizado através da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, 18ª Brigada de Infantaria do Pantanal, 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada e 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada com a participação das Agências, Instituições e Órgãos de Segurança Pública Federais e Estaduais e seguem até maio de 2024.

O objetivo é dificultar a entrada de entorpecentes em território brasileiro.

Até 26 de janeiro de 2024, foram apreendidos 16 toneladas de maconha, 1 tonelada de pasta base de cocaína e 600 kg de cocaína, resultando em R$ 115 milhões de prejuízo ao narcotráfico.

Para denunciar, basta ligar no número 0800 358 0007. A ligação é gratuita e pode ser feita 24 horas por dia.

* Com informações do Diário Corumbaense

TRÊS LAGOAS

Ex-namorada confessa assassinato de músico, paga fiança e é solta

Mulher não aceitava o fim do relacionamento e não se conformava em ver o ex com outra mulher

22/05/2024 12h30

Arma utilizada no crime

Arma utilizada no crime DIVULGAÇÃO

Continue Lendo...

Maria das Graças Barbosa de Melo, 46 anos, confessou ter assassinado a tiros o ex-namorado, Eli Álvaro, de 40 anos, nesta terça-feira (21), em depoimento na Delegacia de Polícia Civil de Três Lagoas, município localizado a 326 quilômetros de Campo Grande.

Conforme apurado pela reportagem, ela não aceitava o fim do relacionamento e não se conformava em ver o ex com outra mulher.

Músico, Eli Álvaro, foi assassinado com tiro no rosto, na madrugada deste domingo (19), na rua Idolino Garcia Leal, bairro Vila Haro, em Três Lagoas. Ele participava de um grupo de pagode e era muito conhecido na cidade.

Ela prestou depoimento, confessou o assassinato, mas pagou fiança e foi solta, passado o período de flagrante (três dias).

Revólver calibre .38, com 17 munições, envolvido em um tecido de crochê, utilizado no crime, foi apreendido pelos policiais.

O CRIME

Músico, Eli Álvaro, de 40 anos, foi assassinado com tiro no rosto, na madrugada deste domingo (19), na rua Idolino Garcia Leal, bairro Vila Haro, em Três Lagoas, município localizado a 326 quilômetros de Campo Grande.

Ele participava de um grupo de pagode e era muito conhecido na cidade.

Conforme apurado pela mídia local, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de um possível homicídio que teria ocorrido em uma residência localizada na região sudeste do município.

Os vizinhos relataram à polícia que ouviram disparos de arma de fogo. Com isso, os militares entraram na casa e viram a vítima caída no chão com perfuração na cabeça.

Polícia Civil, Perícia, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros estiveram no local para efetuar os procedimentos de praxe. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (IMOL) e posteriormente liberado para velório e enterro. 

Parentes e familiares lamentaram a morte do rapaz nas redes sociais.

“Carta aberta para o meu amor: sua luz tudo em você me encantou desde o primeiro momento. Você me disse que todos os dias do meu lado foram os dias mais felizes da sua vida e o da minha também. Você foi meu dia de sol mais bonito, você me salvou de todas as formas que alguém poderia ser salvo. Eu lembro de todas nossas conversas de você me falando o quanto você estava feliz comigo e com a nossa família. Lembro do seu sorriso, do seu olhar dengoso, do seu cheiro e de quando você me abraçava me dizendo que me ama! Você foi a melhor coisa que orisa colocou em minha vida! Vou te amar pra sempre meu amor. Chorar para que? Nesse mundo ou no outro a gente vai se ver!”, disse a namorada da vítima em suas redes sociais.

Força Tarefa

Com ação integrada entre diversos estados, 17 pessoas são presas em operação contra pedofilia

Com coordenação do Ministério da Justiça, a polícia civil de Mato Grosso do Sul e de mais outros 13 estados deflagraram, nesta terça-feira (21) a operação contra exploração sexual infantil de organização criminosa que agia na internet

21/05/2024 16h20

Os agentes foram coordenados pelo Laboratório de Operações Cibernéticas, da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência

Os agentes foram coordenados pelo Laboratório de Operações Cibernéticas, da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência Divulgação Polícia Civil

Continue Lendo...

Participando da força-tarefa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), a polícia civil de Mato Grosso do Sul participou de ação contra exploração sexual infantil, na manhã desta terça-feira (21), juntamente com outros treze estados do país.

Em mais um desdobramento da Operação denominada "Bad Vibes 3" (energias ruins), a polícia civil, saiu às ruas para prender um grupo que vendia e comprava conteúdo de abuso sexual infantojuvenil. 

Os agentes foram coordenados pelo Laboratório de Operações Cibernéticas, da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência, da Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Ação integrada

O determinante para o sucesso da operação, segundo o diretor da Diretoria de Operações Integradas (Diopi), Rodney Silva, ocorreu devido à união dos estados com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, fundamental para estabelecer uma frente ampla de investigações.  

“O trabalho das polícias civis, compartilhando informações, inteligência e expertise, é fundamental para identificar e punir os criminosos, desmantelar redes de exploração e resgatar as vítimas. Ações conjuntas, com foco na continuidade dos processos, são essenciais para garantir a justiça e a proteção das crianças e adolescentes", destacou, Rodney.

Veja os estados que participaram da ação

  • Amazonas;
  • Santa Catarina;
  • Pará;
  • Mato Grosso;
  • Rio de Janeiro;
  • Piauí;
  • Espírito Santo;
  • Bahia;
  • Paraná;
  • Goiás;
  • São Paulo;
  • Rio Grande do Sul;

Ao todo foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão, 1 de prisão preventiva, sendo as outras 16 em flagrante.

Bad Vibes

A operação teve início por meio de informações repassadas pela agência da Homeland Security Investigations (HSI), da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, que rastreou a participação de brasileiros em grupos na internet onde eram compartilhados material de abuso infantil. 

Durante a primeira fase da operação, em outubro de 2023, resultou no cumprimento de 36 mandados de busca e apreensão e 22 prisões, sendo que 12 estados participaram da ação.

Em dezembro do mesmo ano, desencadearam a segunda fase da operação, em Minas Gerais, onde cumpriram mais 15 mandados de busca e apreensão e duas pessoas foram presas em flagrantes. 

O dia 18 de abril, é marcado como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Adolescentes, a operação ocorreu com intuito de dar visibilidade a luta contra o abuso infantil. 

Inteligência

O Laboratório de Operações Cibernéticas, tem papel fundamental de assessorar as polícias estaduais, durante a condução das investigações relacionados a crimes cibernéticos que ocorrem em todo país. 

Conforme divulgado pelo Ministério da Justiça, as atividades ilícitas de organizações criminosas são rastreadas, assim que conseguem comprovar a materialidade do crime, o pedido de busca, apreensão e até prisão dos autores é solicitado.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).