Polícia

DESDOBRAMENTOS

A+ A-

Polícia prende William pela morte de Wesner com mangueira de ar comprimido

Condenados a 12 anos, indivíduo se apresentou ontem (27) na Depac Cepol ao lado do advogado e policiais continuam "na cola" de Thiago Giovanni

Continue lendo...

Condenado pela morte de Wesner Moreira da Silva, de 17 anos - morto após uma ter uma mangueira de ar introduzida no ânus, em 3 de fevereiro de 2017 -, William Enrique Larrea se apresentou ao lado de advogado nesta terça-feira (28) e já foi conduzido ao sistema prisional. 

William Enrique Larrea, de 37 anos, há uma semana era considerado foragido e se apresentou na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro Integrado de Polícia Especializada (Cepol).  

Ainda conforme a polícia, o indivíduo preso nessa terça-feira (27) permaneceu num primeiro momento na Depac/Cepol, sendo transferido na manhã desta quarta (28) para o Centro de Triagem do Sistema Prisional. 

Condenado ao lado de Thiago Giovanni Demarco Sena, de 27 anos, que é considerado foragido, a polícia também indica que segue "na cola" do segundo envolvido, com expectativa de que a prisão aconteça "nos próximos dias". 

Condenados

Há oito dias, Thiago Giovanni e William Enrique foram considerados foragidos por não se entregarem às autoridades até a data de 20 de fevereiro. Acusados de matar Wesner, a condenação de 12 anos de prisão saiu do júri popular realizado ainda em 30 de março de 2023. 

Ambos recorreram dessa decisão judicial e passaram todo esse tempo respondendo ao processo em liberdade. Tanto Thiago quanto William prestaram depoimento alguns dias após a morte de Wesner, sendo liberados em seguida. 

Esse caso aconteceu há sete anos, todos os três trabalhavam em um lava-jato, local que foi palco do crime cometido em 03 de fevereiro de 2017. Na ocasião, a vítima teria pedido que William, dono do empreendimento, comprasse uma coca-cola para que consumissem juntos. 

“De novo? Agora toda hora Coca-Cola!”, respondeu o patrão, apanhando um pano usado para limpar carros com o qual passou a bater na vítima "também de maneira lúdica [atitude de entretenimento]", como consta na denúncia movida pela 18ª Promotoria de Justiça da Capital. 

O que aconteceu em seguida, segundo a denúncia, foi uma tentativa de parar com a brincadeira, com a vítima correndo para se distanciar, sendo perseguido e imobilizado por William, que segurou Wesner pelos braços e tórax para que não escapasse. 

"Assim, logo após, o denunciado William carregou a vítima, ainda imobilizada, até o local em que se encontrava o denunciado Thiago... provam os Autos Inquisitoriais que o denunciado THIAGO, em conluio e unidade de desígnios com o denunciado WILLIAm - que ainda imobilizava a vítima -, muniu-se de uma mangueira de ar, utilizada para a limpeza de veículos no LAVA A JATO, retirou a bermuda e cueca da vítima e ligou o compressor de ar que alimentava a mangueira e introduziu-a no ânus daquela, que imediatamente passou mal e vomitou", acrescenta a denúncia. 

Crime

Ainda que descrito pelos condenados como uma "brincadeira", as consequências foram fatais para Wesner Moreira da Silva, que morreu aos 17 anos.

Após ter a mangueira introduzida no ânus em 03 de fevereiro, Wesner foi levado inicialmente para um hospital, na região do bairro Tiradentes. Ele alegava dores na barriga, além de quadros de vômito e também inchaço na região do abdômen. 

Wesner Moreira da Silva foi posteriormente levado até o Hospital Santa Casa de Campo Grande, permanecendo internado por cerca de 11 dias. Sua morte foi registrada em 14 de janeiro de 2017. 

 

Assine o Correio do Estado

FÁTIMA DO SUL

Bombeiros localizam corpo de homem que morreu enquanto pescava com a esposa

Homem desapareceu no sábado (13), mas corpo foi encontrado apenas neste domingo (14)

14/04/2024 15h15

Rio Dourados, em Fátima do Sul (MS) Foto: MS News

Continue Lendo...

Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) localizou o corpo de Ivanor Krohn, de 57 anos, na manhã deste domingo (14), no rio Dourados, em Fátima do Sul, município localizado a 239 quilômetros de Campo Grande.

Conforme apurado pela mídia local, Ivanor pescava com a esposa em uma região conhecida como Engano, quando, em determinado momento, desapareceu.

A mulher sentiu falta do marido, o chamou, procurou, mas não o encontrou. Com isso, acionou o Corpo de Bombeiros (CBMMS) através do número 193.

Os militares iniciaram as buscas ainda na tarde deste sábado (14), mas, não localizaram o homem. Na manhã deste domingo (14), populares viram um corpo boiando nas águas próximo a ponte do Rio Dourados e comunicaram o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada da guarnição, um pescador conseguiu resgatar o corpo e levou-o até às margens do rio. A suspeita é que ele tenha morrido afogado.

De acordo com o site MS News, ele vestia apenas uma cueca e tinha alguns ferimentos pelo corpo. A Polícia Civil investigará o caso.

Carne podre

Polícia Civil apreende 850 kg de carne imprópria para consumo infestada de insetos

Carne bovina, frango e linguiça estavam em estado de deterioração avançado; um homem foi detido e pode pegar até 5 anos de prisão

14/04/2024 09h30

Também foi constatada a produção clandestina de linguiça. Divulgação/PCMS

Continue Lendo...

Com 850 kg de carne podre apreendida, uma operação conjunta entre a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo da Polícia Civil (Decon) e a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) desencadeou a prisão de um homem de 44 anos por comercializar carnes e linguiças infestadas por insetos e provenientes de abate clandestino.

Segundo informações da Polícia Civil de Bataguassu, durante a diligência, os agentes encontraram não apenas insetos, mas também carne bovina e de frango em avançado estado de decomposição.

Além disso, foi constatada a produção clandestina de linguiça, sem a devida autorização do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) e com alvarás vencidos, evidenciando uma operação irregular e perigosa para a saúde pública.

A apreensão totalizou 850 kg de carne, o que resultou na prisão em flagrante do indivíduo, que enfrenta agora uma possível sentença de dois a cinco anos de prisão.

A carne confiscada foi encaminhada à Iagro para descarte, em conformidade com a legislação vigente, a fim de assegurar a segurança alimentar da população e evitando potenciais riscos à saúde pública.

Confira os canais de denuncia da Decon: 

Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo - Decon
Delegado Titular: Reginaldo Salomão
Endereço:  Rua 13 de junho, 930 – Campo Grande – MS
Telefone: (67) 3316-9805/(67) 3316-9825
E-mail: [email protected]
Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 08 às 12 horas e das 14 às 18 horas.

Ouvidoria Iagro

  • denúncia, reclamação, dúvidas, sugestões ou elogios (OUVIDORIA – clique aqui);
  • Notificação de suspeitas de doenças em animais (E-SISBRAVET – clique aqui);
  • Emergência Sanitária ou denúncias - Animal - 67 99961-9205 (apenas WhatsApp);
  • Emergência Sanitária ou denúncias - Área vegetal - 67 99971-8163 (apenas WhatsApp).



Assine o Correio do Estado.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).