Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

CAUTELA

Procon aconselha sobre as medidas a serem tomadas para não ser enganado na Black Friday

Órgão explica que ofertas não eximem fornecedores de cumprir legislação
09/11/2020 09:45 - Rodrigo Almeida


Mês de novembro já virou sinônimo de grandes ofertas e compras a baixo preço. No entanto, tão comum quanto a data são os relatos de decepções com alguns fornecedores.

Celebrada na última semana de novembro, este ano a data escolhida para o saldão foi o dia 27. 

A Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) reforça os cuidados a serem tomados para que a empolgação não se transforme em decepção. 

De acordo com o órgão, entre as ocorrências é possível ver relatos até de troca de produto. A atenção deve ser redobrada principalmente em relação aos preços. 

É comum serem ofertadas mercadorias a preços esticados e descontos altos, vislumbrando nehuma vantagem para o consumidor. 

Popularmente, essa prática é conhecida como “a metade do dobro”, uma tática amplamente utilizada em outras Black Fridays. 

Outra variação desta prática é o frete de alto custo. O órgão pede atenção aos valores que muitas vezes ultrapassam o preço do item, uma maneira mais sutil de dobrar o montante da compra. 

Para evitar transtornos, sempre que for adquirir produtos pela internet, é recomendado estar atento à existência da figura de um cadeado – que demostra se tratar de site sério - na apresentação do site acessado o que pode dar certeza de compra segura.

Tente sempre fazer buscas sobre a seriedade do site, os serviços prestados, avaliações de outros usuários, além de consultar site do Procon Estadual ou da Fundação São Paulo. 

O Procon ressalta que, “seja durante a Black Friday ou em qualquer outra ocasião, o fornecedor não se exime de cumprir normas do Código de Defesa do Consumidor, bem como prazo de entrega e substituição de produto que contenha danos ou vícios”. 

Segundo o superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão,“é necessário sempre exigir a nota fiscal. Trata-se do principal documento para assegurar a garantia em caso de reclamações posteriores”, afirma. 

 
 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!