Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FEMINICÍDIO

Vizinho é preso por sequestrar e matar Carla

Na casa do homem foi encontrado lençol com sangue
15/07/2020 09:29 - Gabrielle Tavares


Equipe do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul prendeu um homem de 21 anos, suspeito de sequestrar e matar a estudante Carla Santana Magalhães, de 25 anos. A prisão aconteceu na noite de segunda-feira (13). 

Ele era vizinho da vítima e ainda não há evidências que eles tinham algum tipo de relacionamento.  

O Batalhão chegou até o indivíduo através de informações anônimas, que indicavam o envolvimento do jovem no crime. A prisão aconteceu no bairro Tiradentes, o mesmo onde o corpo de Carla foi encontrado.

Segundo informações da polícia, o indivíduo correu ao perceber a presença da viatura, mas recebeu voz de abordagem. 

Durante busca no imóvel, os policiais encontraram um lençol com manchas de sangue. Quando indagado, o abordado relatou que ficou com medo pois não visualizou que se tratava de viatura policial e que as manchas nos tecidos era sangue dele próprio.

O suspeito foi conduzido até a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH). 

 
 

O SEQUESTRO  

Carla foi sequestrada no dia 30 de junho. Ela havia saído para ir ao supermercado com uma amiga que mora na mesma rua. Após deixar a amiga em casa, seguiu para a própria residência e foi sequestrada na frente, antes de entrar em casa.

Celular da estudante, um chaveiro, o café comprado no mercado e os chinelos ficaram caídos no chão.  

Três dias depois, no dia 3 de junho, o corpo foi encontrado em frente a uma mercearia, a cerca de 40 metros da casa da vítima. 

Conforme a Polícia Civil, ela teve hemorragia causada por golpes de faca no pescoço e marcas de violência no corpo indicam que pode ter sido estuprada. 

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!